Devolução Sinistra de um Anel

Não tive dúvidas
Quando empreguei
Em minha casa uma nordestina
Muito me empolguei
Moça de voz macia
Mulher dada e sem mania
Sempre à disposição
Veio  a decepção
Não tinha noite nem dia
A mulher de estatura baixa
Parecia  Maria
Um anel furtou
Furto ,palavra forte
Quem imaginava, que aquela mulher do norte
Se entregava a má sorte
Não sei se foi crime ou doença
Maldadeou perdição
O fato é que aconteceu ,
Aquela subtração
Foi subtraído anel de grande valor
Causou dor e desamor
A empregada bondosa
Em infratora se transformou
Pai e filha choraram a subtração
Pois a peça antiga, era de grande estimação
A moça não confessou e pôs-se a chorar
Para sua inocência provar
Não houve acusação
Apenas suposição
De indícios que foram somados à sua reação
Para confirmar a culpa
Uma notícia chatinha
Foi no ourives  vender jóia antiga
Uma nordestina baixinha
Provavelmente arrependeu
Danificou a peça
Colocou debaixo do pneu
Quando  o carro saiu
A peça partiu
Ja não era  a mesma
Perdeu sua beleza
O brilhante caiu
O inesperado aconteceu
O anel foi devolvido
Aquela beleza antiga se perdeu
A admiração pela moça, enfraqueceu
Resta a demissão
Sem muito dar explicação
Aqui fica registrada uma sinistra devolução