Datena

Me pego na tela, ao invés de novela, noticiário,
gostaria que fosse alegre, porém, tudo dobrado,
crimes em parceria, vítimas mortas todos os dias, parece um tornado,
Nada, tudo, o Datena, leva o recado,
pode parecer delicado, o modo de conduzir a reportagem, mas revela o pecado,
Assassinos cruéis, sem fé, falta Deus,muita droga, poucos os iluminados,
Na própria família surgem seres homicidas, tiram, brincam, eliminam vidas, são rechaçados, atropelam valores e são violentos, atiram nos violentados,
colocam pânico, destilam ameaças , vivem atormentando os ameaçados,
Crimes hediondos, a maldade embala o coração dos desalmados,
A sociedade vive na fase primeva da civilização dos povos, seres amaldiçoados,
A ira divina irá recair nesses criminosos infiéis, pois violentam valores abençoados,
Me pego novamente assistindo o Datena, ele conduz a notícia, com tons alterados,
Isso me faz sentir que o fim está quase, pois há inversão ,bens são violados,
atingidos por indivíduos de requintes cruéis, senhores seguidores dos antigos pecados,
Me ponho a questionar, qual seria a melhor saída, nos tornar reclusos ou escravos da vida,
ou pobres humilhados, Vamos reagir, sair desse marasmo, buscar a luz celestial, dar um sentido diferente a vida, resgatar aquilo que foi deflagrado......

Amado

Esse poema é para meu amado, meu eterno namorado,
ele tem alma de alado, tem gosto de pecado,
Meu doce amado, me alegra dizer que é iluminado,
amado da noite e da madrugada, caio em seu ninho, fico acomodada,
a tristeza não mais persiste, vai embora, permanece acordada,
O sono não vem, pensar em você, me faz muito bem,
nobreza de espírito, sutileza de olhar, meu bem, meu mal e meu zen,
Meu amado é doce e amargo, seco e molhado, parece que nunca vai, sempre vem,
Encontra comigo, cutuca meus sentidos, atropela a decepção, veloz como um trem,
Amado , seu peito está repleto, de matizes de cores, olhar em seus olhos, me convém,

Apenas

Apenas, palavra pequena, mas revela a alma de um ser,
que clama apenas, por uma chance de te ver,
Apenas agora, é meu bem querer, apenas, apenas, não mais que viver!
Essa doce paixão, recheada de emoção, apenas eu e você,
Somente nós, em um lindo lugar, basta-nos, apenas amar,
Apenas comemorar , esse desejo de reencontrar, nossos corpos , abraçar,
Mãos sentindo a vibração, de dedos a entrelaçar,
Apenas nós dois , nesse lindo luar!
Apenas, nada mais,esse é meu soletrar,
a fala fica diminuída, apenas na medida, doce enamorar,
restrita, contida, dois corações a embalar,
gestos de carinho, muita ternura, simplesmente amar,
Apenas o amor, esse é o limite,o nosso sustentar,
Não necessito de nada, apenas do seu olhar !!!!

Quem sou eu?

De repente me pego na dúvida,indagação,
só questionamentos, quem sou eu? Poetisa!Isso é gozação!
Tantos poemas lindos, meu universo fica aberto,
admiro em especial , as poesias de Carlos Alberto,
diante de sua escrita brilhante, me sinto uma pedra , frente a um diamante,
Mas tudo bem, continuo assim, querendo ir além, sempre adiante,
No grupo de poetas, encontrei inspiração,aflorei, fiquei radiante,
Tudo me faz bem, ler as poesias, guiar minha imaginação, isso é empolgante!
Acabei de entrar no blog de um poeta, estou admirada, estonteante,
Que lindos versos, inseridos em poucas linhas, traduzem tudo de forma elegante,
Sou sua seguidora, isso é verdade, poeta de profundidade, meu galopante,
Quem continuo sendo? Uma mulher atrevida? Por isso vou escrevendo,
continuarei arriscando, mas sem comparação, pois não resta dúvida, estou lendo
nas linhas do coração, que poeta de verdade , está perto, não estou vendo,
Posso imaginar, que em seu jardim está cravado, poemas de lindo sonhar,
Agora sei quem sou, poetisa do verso e do amor, pois para poetizar, basta amar.....

Sedução

A sedução é pura sensibilidade,
de unção do encanto e sensualidade,
Dessa terna união, reação de corpos em extremidade,
nada de equilíbrio, a sedução te leva a nutrir , sentimento que nem sempre é verdade,
O amor sim, representa um sentimento profundo, invade a alma, te situa no mundo,
Nesse universo de tantas tentações, não me apego somente em seduções,
esse sentido vem distorcido, enfraquecido, não podemos alimentar em nossos corações,
o amor é a mola mestra dessa orquestra,
a sedução vem atrás, embalando a festa,
Portanto, não basta seduzir, temos que imergir ,
deixar tudo explodir, e ter o amor como elixir,
Ele é o sustentáculo, nunca gera obstáculo,
a sedução , puramente, é ato isolado, nos deixa demente, presos a um oráculo,
Assim, apregoa-se o amor como meta, , entendemos esse vernáculo,
Diante dessa diferença essencial, estabeleceremos qual o nosso fraco,