Saindo e voltando

De repente estou saindo, indo, rindo mas sem destino,
findo, tudo acabou, seria tristeza mas me alertou,
seu amor é pequeno demais, ao invés de me atracar, me liberta ,
desperta sensação de pobreza, isso foi bom , conheci sua frieza,
É rudimentar seu jeito de amar, indeciso, impreciso o seu linguajar,
ora penso que está chegando, ora já vejo sua saída,
ora aconchego, ora despedida,
Uma instabilidade de humor, dor, alegria, simpatia e antipatia,
como pode existir alguém assim? Cria-se elos, efetiva-se afetos,
depois te arrebata, para longe, onde os olhos não são mais belos,
Quem foi você? Existiu? Porque partiu?
Muitas as indagações, tudo sem nexo e razões,
muita coisa pendente, em mim, na gente,
onde estamos nós?
Chegamos ou voltamos?
Do paraíso ou de um precipício de lamentações?
Responda, por favor , todas as interrogações....