Rancho

Ranchos elegantes,
os ranchos de hoje não são como os de antes
como era singela a diversão, rancho na sua etimologia,
não traduz tanta ostentação,
uma tapera na beira d água
um pedaço de terra , enxurrada,
rancho de outrora, eu era vidrada!
Hoje, grandes lanchas, aeroportos beirando,
invasão de pessoas, mundo cigano,
Piscinas frias e quentes,
rio morno e ardente,
gente bem vestida,
nada de indigente
Paraíso de cultos visuais, contornam as marginais
muita exibição de corpos delineados,
puro pecado!
Fazendo uma analogia com os ranchos antigamente,
qualquer pedaço de pano, era veste e abrigava a gente,
pequena edificação, acabada ou inacabada,
servia para alegrar a turma naquela ranchada,
Mas o aumento da especulação, consumo em exacerbação, evolução,
fez acabar com a  tradição,
rancho não tem mais essa  visão natural,
virou diversão luxuosa, desprovida de algo excepcional
Ranchos atuais, soberba seus letrais,
até suas letras estão perdidas,
em  uma vastidão  de medidas,
gente grande, pequena, gorda, magra, de alma agitada e serena
Um povoado, pessoas  em carrões ,
aviões, chegando de todas as direções
multidões,
estamos perdendo o espaço, a invasão nos ranchos é demasiada
gente correndo, gente parada,
território vago, perdido,
nossos valores sucumbidos,
não tem calmaria, pescaria, rancho agora é pura mania,
modismo, nada de terapia!!!!