Queria a Plenitude

Como gostaria de viver a plenitude dessa paixão.
mas o pudor me consome, coração diz sim e ele não,
Meu corpo implora por carícias, delícias dessa doce atração,
Mas a realidade da vida, é diferente, nos coloca em outra direção,
Queremos atingir o apogeu, mas as condições, fecham as portas, cria limitação,
Quero beijar ardentemente, cegar minha visão, ficar obtusa, curtindo a sensação,
O simples toque já será a grande satisfação, as mãos em deslizes, o corpo em erupção,
não há necessidade de atingir tanta profundidade, basta a leveza, suavidade,
Pois não só as investidas ousadas, são queridas, um simples delírio, mostra a extremidade,
Nós seremos os extremos, do tatear sem ousar, do amar, sem machucar,
do sentir sem gritar, do sussurro sem lágrimas a enxugar,
nós seremos o amor de verdade, a teoria e a praticidade,
faremos do nosso encontro, uma eterna saudade.......