Flávio( poema em homenagem a uma amiga ,Luciana)

Quero em versos decifrar seu nome,
gentil, grande homem,
Do latim, cor de ouro,
tesouro......
Também retrata personagem de ficção,
Em minha vida, pura reação....
Suas raízes estão em Roma,
nome de antiga família romana,
passou por várias operações,
hoje soma,
alegria, esperança, nada de subtrações
Veio para acrescentar, alterar..
O estado, a fala que não quer calar
Ao percorrer a história , essa é a origem remota
Filho de uma fada loira, quase não se nota...
Somente quem tem percepção sensorial ,
sensibiliza e te empacota,
Te guarda , conserva, vira reserva
Vou tombá-lo em meu coração,
permanecerá inalterável, sem chance de modificação
Flávio, essa é a tecnia da  grafia
Quero ir além, estudar sua geografia....
Perquerir um caminho em outra melodia
Auscutar seu coração, suas batidas, sua empatia
Que sintonia, pura energia!
Deixar suas mãos tocarem minha alegria
deslizar em minha fantasia,
Assim chegarei ao estertor,
gritarei, te chamarei de amor,
Rasgue minha vontade, me conceda seu sensor...
Nada disso é conceitual e textual,
revela equilíbrio virtual,
mas desagua no emocional,
faça em mim uma mistura,
colocoque  sentimentos e vontade pura!
Agora sigo nosso pacto,
verbal, anormal, fora do senso comum
pretendo envolvê-lo e te dar um zum,
aumentar sua imagem, seguir seu personagem,
Trasnportá-lo para mim, isso não é miragem
trata-se de verdade absoluta, não uma viagem,
onde se perde em confusão,
és uma realidade ,nada de imaginação,
troca de afetos, pura oxigenação....
Flávio, estabeleça nova morada,
venha com sua cor dourada,
traga seu sorriso, sua crença
mergulhe em meu ser, faça a diferença....