Vergonha

Vergonha não sei de que, vergonha de mim para você, ainda irei entender, A vergonha há de esconder, as lágrimas que chorei, prantos que somei, Vergonha que nem sei!! Assim, me comunico , nas letras me trupido, vergonha te fez sumido, das iras dos letrais, vergonha que molha a fronha, vergonha de mim e dos mortais, Vergonha que me consome, vergonha até do nome, pois enebriada ,some, extenuada as vezes que encantei vergonha que decifrei, delírios enfrentei, Vergonha que nunca sonhei, nem tão pouco imaginei, Palavras extraídas de um ser que nem sei, vergonha de mim e de você, vergonha o quanto me manchei, Sonhos coloridos, esculpidos no coração, vergonha até da multidão, pois as palavras exaradas, foram por mim exortadas, Vergonha de acreditar, que o verbo amar foi mitigado, vergonha por ter encontrado na tela, papo de janela, aberta ao céu, vergonha de mim, gosto de fel, Mas , afinal, quem sou? A vergonha não encobre as virtudes que mostrou, a vergonha não aniquila as carícias que conquistou, vergonha incapaz de matar o que restou, resta grandes méritos de um ser que espatifou......