Mulher Vigarista

Mulher de visão vigarista do mundo, seus anseios são imundos, Faz do amor um chamarisco de coisas materiais, suas aspirações são carnais, devaneios banais, Arriscando a própria sorte, vem do norte, de um lugar qualquer, onde se mitiga homem e mulher, Um solstício que não mais brilha, sua alma parecia pura , mas a debilidade da mente, doente, depurou o lindo, restou o findo,,Nada fez florescer, não somou, apenas diminuiu, subtraiu riquezas, assim foi indo, trapeceou a alma de um homem lindo, Mulher de rudez, tosca a forma de encantar, tapeia e brinca de jogos de azar. Mulher , bazar de coisas usadas, mal falada, A noite calou seu encanto, fez o pranto na bela alma, mas agora, calma está a mente, não mais sente ,,Resgatou a postura, repleto de investidura, rompeu as lembranças da criatura, Mulher, porque apoderou-se de tantos bens, hoje o que tens? Mulher, desprezou o amor mais profundo, Soberano em argumentos, rico em sabedoria, Mulher fria, desarmou um império,,Hoje, esse homem que fez chorar, Está a brindar,,encontrou sua gravura, estava perdida em meio a outras figuras,agora, tenta escrever sua literatura, Um brinde a esse novo ser, enriquecido pelas dádivas do bem querer, Sobreviver é a questão,,,portanto, nunca mais verás as lágrimas inundar esse coração..