Maria Zamborra

Em uma cidade pequena, me lembro de uma cena,
ela andava pelas ruas, sua figura era plena
Plenitude de tamanho, seios enormes, nada de mulher pequena,
Seu nome irei decantar, Maria Zamborra, mulher de alma serena,
Nada de cultura, rude, roupas rasgadas, andava pela avenida , que pena!!!!
Todos se punham a zombar, eu, uma criança, me lembro do povo em novena,
todos a falar, caçoar, dos enormes vestidos, parecia Madalena,
Maria Zamborra, onde será que está agora? No céu, junto a Nossa Senhora,
tenho certeza de uma coisa, a simplicidade de sua figura, a colocou no altar,
junto aos anjos mais serenos, que habitaram seu lar,
Mulher que sofreu o desprezo ,de um povo a gritar,
Zamborra, Zamborra, esqueceu o zíper de fechar,
arrume essa blusa, não deixe os seios a mostrar,
Ela toda simplória, não entendia nada, continuava a atravessar,
carros passavam ,e a Zamborra nem parecia ligar,
quase foi atropelada, pobre coitada!!!!!!
Maria Zamborra, nunca me esqueci de seu semblante, mulher que morava na rua,
misturava a seus habitantes,
Zamborra, você marcou minha infância, nunca critiquei, aliás, admirava sua elegância,
porém uma coisa ficou registrada, a sua extravagância.....