Abandono

Abandono" " Ao abandono das horas ,
ruínas de um amor que inabita,
Nunca habitastes o corpo que agita,
Mãos ávidas de um amor que grita,
Palidez e rubor que se misturam,
Revelando o descaso da criatura,
Rude forma de abandono, 
porque abdicar de seu trono,
Sempre foi rei em seu reinado,
Embora renunciando ao encontro encantado,
Serás para sempre o ser mais amado,
Abandono dos sonhos pensados,
embora , desolados na dor,
Sempre serás meu amor...